CAROLINE RONCONI

NEWSLETTER

Receba as publicações do site!

 

COLUNA ALE CASTRO: Começando 2018 com as finanças em ordem!

COLUNA ALE CASTRO

1 de dezembro de 2017

Oi meninas,

Sejam bem-vindas a mais um texto da Coluna Ale Castro! No post anterior falei sobre os delírios possíveis para a Black Friday, uso do 13o salário e comprinhas de Natal. Hoje o texto é para realmente conscientizá-las sobre a mágica do planejamento e do controle do impulso consumista. A Black Friday passou, muita gente deve ter comprado além da conta já visando o 13o salário como forma de pagamento e, sem medo de parcelar, distribuíram parcelas para todo o ano de 2018….Nós somos responsáveis pelas nossas escolhas e a decisão de começar 2018 no azul ou no vermelho é exclusivamente sua!

O ritmo de festa é lindo e contagiante, mas quando chega Janeiro se prepare que lá vem os boletos. A forma como você vai consumir agora no fim do ano pode ser decisiva para que você tenha um 2018 no sufoco ou na tranquilidade. Se você está consciente que tem uma dívida de cartão de crédito te atormentando, renegocie pelo menor valor possível e use o 13o salário para quitar. Por mais chato que seja priorizar agora um pagamento desse tipo ao invés de se dar um presente caro, tenha certeza que sua tranquilidade futura será um presente mais top ainda.

Entrar 2018 no azul ou com pequenas coisas a serem pagas é libertador.  Nada de financiamentos, empréstimos ou dívidas de cartão para quitar. Experiência própria. Esteja sempre preparada com uma reserva de emergência, você nunca sabe o que pode acontecer. Manutenção de carro e reparo no computador são alguns exemplos. Novamente aqui encaixo aquela dica: o seu objetivo a longo prazo deve ser de total relevância no momento dessas compras de fim de ano. É você quem decide: ficar mais próxima da realização daquele sonho importante ou satisfazer um desejo momentâneo e endividar-se para um ano que nem começou.

Apenas deixando bem claro que as parcelas quando bem usadas podem ser benéficas sim, ajudando na compra de algum item.  Parcelas e moderação devem caminhar juntas. Por isso um planejamento consistente e de acordo com sua realidade deve existir e fazer parte da sua rotina de vida. Com planejamento tudo funciona melhor, você não se estressa com imprevistos e consegue administrar tudo tranquilamente e com antecipação. Tendo essas dicas agora fixem na mente o seguinte mantra: PLANEJAMENTO É VIDA! Compartilhem já essa dica e aguardo vocês para o próximo texto!

Beijos,

Ale Castro

 

 

 

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR!

COLUNA ALE CASTRO: Dinheiro x Qualidade de vida

COLUNA ALE CASTRO

27 de outubro de 2017

Uma ótima sexta-feira meninas e mulheres antenadas!

Informação vale ouro! Por isso escrevo essa coluna, para que as informações compartilhadas aqui ganhem o maior alcance possível. O assunto hoje é bastante importante: qualidade de vida e dinheiro. Você não necessariamente precisa ser milionária para dizer que tem uma ótima qualidade de vida e também não deve rotular qualidade de vida como o acúmulo de coisas caras compradas sem o menor critério.

Do meu ponto de vista, qualidade de vida é quando você pratica o autoconhecimento e obtém a resposta para saber exatamente do que precisa para viver. Se você pratica o autoconhecimento e sabe que preza por exemplo por uma vida confortável, com oportunidades de viagens e outras facilidades, há de se entender que para isso é necessário a formação de um certo patrimônio ou reserva de emergência a longo prazo para que você possa manter essa qualidade de vida idealizada. Já outras pessoas são mais adeptas de um lifestyle que não demande grandes valores, e assim também consideram isso como qualidade de vida. E a ponte que garantirá essa qualidade de vida “low profile” ou “badalada” resume-se em PLANEJAMENTO.

Pensando num horizonte de médio a longo prazo a palavra planejamento cai muito bem e o consumo impulsivo sem critérios destoa totalmente dos seus objetivos. Se para uma pessoa qualidade de vida é estar mais próxima da família, ter horários flexíveis e trabalhar com o que gosta, planejamento é a palavra certa. Você mulher que está com esse tipo ideia rondando a mente, reflita bem sobre isso e o quanto está disposta a abdicar de padrões consumistas para chegar ao patamar de qualidade de vida idealizado. Garanto que é libertador poder empregar seu dinheiro em outras coisas ao invés de gastar só com roupas por exemplo.

Então finalizo a coluna de hoje com essa dica master: seja você a dona da sua vida e das suas escolhas, planeje dentro do possível seus próximos passos e o que é preciso fazer para chegar lá; não deixe para pensar nisso somente quando tiver um determinado valor acumulado. Faça o dinheiro trabalhar para você desde já!

 

Beijos e até a próxima semana!

Ale Castro

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR!

COLUNA ALE CASTRO: Viva o presente, mas não esqueça o futuro…

COLUNA ALE CASTRO

26 de maio de 2017

O post de hoje chega num momento mais que oportuno. Nos últimos dias a incerteza sobre o futuro da economia do país tornou-se o assunto mais comentado entre a turma do trabalho e os grupos do WhatsApp. Por isso, está mais do que na hora de você avaliar-se e refletir como quer o cenário da sua vida daqui alguns anos. Sei que é difícil prever o que vai acontecer, mas com um planejamento podemos minimizar os efeitos de um cenário não favorável.


Quer um exemplo prático para entender melhor? Vamos criar uma personagem! Analu tem 30 anos, recebe aproximadamente R$ 3 mil e não dispensa acompanhar todas as tendências da moda, as baladas com os amigos todos os fins de semana e nem a compra do celular recém-lançado. Resumindo: Analu consegue poupar pouco do que ganha ou então não conseguirá executar tais hábitos, justamente por pensar somente no presente. Diante de uma possível demissão, nossa personagem não estará preparada para arcar com os custos de uma temporada em busca de nova recolocação, e isso pode acontecer com qualquer um de nós.

E agora Ale, o que eu faço?! Bom, o primeiro passo é PLANEJAMENTO. Os especialistas recomendam que você faça uma reserva de emergência com o valor equivalente de 6 meses a 1 ano de trabalho. Ou seja, se você ganha R$ 3 mil, para 6 meses deverá ter R$ 18 mil. E essa reserva deverá ficar intacta até que realmente apareça uma necessidade para usar; ela será o seu conforto para o período que não estiver empregada. Por isso, é importante comprar somente o necessário e policiar-se com atitudes de impulso!


Nesse post vocês aprenderam a importância da reserva de emergência e como o hábito de poupar pode nos render uma certa tranquilidade diante de uma situação desfavorável. O próximo post já está em mente! Não deixem de compartilhar essa dica e aguardo vocês na próxima semana!

Beijos

Ale Castro

 

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR!

JÁ PRO CLOSET!

Bota de veludo

Dries Van Noten

Óculos de sol

Miu Miu

Loafer

Gucci

Perfume Beige - Extrato

Chanel

Bolsa Dragon

Gucci

Bota Wonderland

Louis Vuitton

INSTAGRAM: @caroline.ronconi